Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #

Uma graça surpreendente

  |  Pr. Sérgio Fernandes (insta @manadamanha)

Lucas 19:1 - ¶ E, tendo Jesus entrado em Jericó, ia passando.

Que graça surpreendente a de Jesus! Aleluia! Naquele momento estava o Salvador cercado por uma multidão, mas entre tantos, Seus olhos graciosos se concentraram na figura improvável de um pecador cobrador de impostos!

Essa ação de Cristo revela o plano de Deus para salvar o homem: (1) Ele chama o publicano pelo nome, porque a salvação é pessoal e individual. (2) Ele manda Zaqueu descer da árvore, porque a salvação não vem do esforço pessoal, mas da obra de Cristo. (3) Ele se convida para ir a casa de Zaqueu, porque seu plano é salvar as famílias da terra.

Aceite a obra de Cristo no seu coração!

Debaixo da figueira

  |  Pr. Olavo Feijó

João 1:48 - Disse-lhe Natanael: De onde me conheces tu? Jesus respondeu, e disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, te vi eu, estando tu debaixo da figueira.

As emoções que sentimos acontecem em lugares e ocasiões que se tornam inseparáveis, no contexto de nossa existência. A cozinha da vovó, cujo cheiro de bolo sempre nos encheu de prazer e alegria... A árvore central do parque da nossa cidade natal, onde construímos nossa fortaleza imaginária... E, para Natanael, que se tornou discípulo de Jesus, aquele pé de figo, cuja sobre sempre trouxe bem estar e questionamentos espirituais – que somente ele e Deus conheciam...

De repente, sem mais aquela, aparece um pregador, com quem nunca Natanael teve contato, e usou a expressão mágica “debaixo da figueira”. Jesus viu Natanael vindo na Sua direção e disse: Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo. Surpreso, Natanael respondeu – Donde o Senhor me conhece? Aí, Jesus retrucou – “Antes que Filipe te chamasse, Eu te vi, meditando debaixo da tua figueira” (João 1:47-48).

Cada um de nós, lembre-se ou não , vivenciou algum tipo de “figueira”.a história de nosso encontro pessoal com Cristo sempre nos surpreendeu, pela inesperada intimidade com que o Senhor nos recebe. E pela maneira poderosa como nossas “figueiras” se encaixam, no convite que Cristo nos faz. Algum tempo depois, quando finalmente nos entregamos a Jesus Cristo, Sua graça salvadora se revela e todo o nosso mundo se transforma em um parque abençoado de figueiras.