Estudos bíblicos diáriosDevocionais
BUSCA POR DEVOCIONAIS
PALAVRA-CHAVE
AUTOR
TÍTULO
BASE BÍBLICA
DATA DE PUBLICAÇÃO
Entre
e
POR ORDEM ALFABÉTICA
A B C D E F G H I J K L M N
O P Q R S T U V W X Y Z #

Devocionais

Pr. Olavo Feijó
 Gotas Bíblicas

Modos De Trair Jesus

  |  Pr. Olavo Feijó

Lucas 22:4 - E foi, e falou com os principais dos sacerdotes, e com os capitães, de como lho entregaria;

A decisão de trair Jesus não veio de repente, na mente de Judas. Começou com um processo crescente, no qual o Iscariotes descobriu que o seu ideal de Messias nada tinha a ver com o ministério de Jesus. Sentindo-se traído, Judas traiu Jesus. “Judas dirigiu-se aos chefes dos sacerdotes e aos oficiais da guarda do templo e tratou com eles como lhes poderia entregar Jesus” (Lucas 22:4).

Trair é uma coisa terrível. Gente normal não se alegra em entregar um amigo, ou mesmo um simples conhecido. O imaginário popular cunhou a expressão “dedurar”, cujo conteúdo traz consigo uma detestável falha de caráter. Ninguém admite manter relações com um “dedo duro”.

O grande perigo da atitude de trair é que ela pode começar insidiosamente, à medida que desapontamentos aumentam, em nossos contratos. Por isso, é essencial manter um olhar para nossa consciência, que constantemente examine a qualidade de nossa lealdade. Afinal de contas, que é que esperamos de Cristo? Por que decidimos segui-lo? Como é que reagimos, quando Ele nos informa que Seu Reino não se limita a este mundo (João 18:36)? Grandes traições podem ser o resultado do acúmulo de pequenas traições. Que fazemos com nossos desapontamentos religiosos? Nós os comentamos com o próprio Jesus ou com os inimigos de Jesus? Há muitos modos de trair Jesus. Que o Senhor nos ajude, para não desviar Dele nossos olhos espirituais.



Pastor Sérgio Fernandes
 Palavra Que Transforma

Reflexões em 2 Coríntios - Tomando parte nos sofrimentos

  |  Pastor Sérgio Fernandes

2 Coríntios 1:5 - Porque, como as aflições de Cristo são abundantes em nós, assim também é abundante a nossa consolação por meio de Cristo.

O sofrimento, conforme já mencionei, é uma parte natural do nosso discipulado. O cristão sofre e não há evangelista entusiasmado que possa alterar isso. A nossa vida é um ciclo contínuo de tribulações, experiências com Deus, superação e aprendizado. Se você quer parar de sofrer, o cristianismo por certo não tem a solução para você. Mas se você quer transformar o seu sofrimento em uma missão para encorajar o seu próximo, seja bem vindo ao reino de Deus.

O cristão foi batizado pelo Espírito no corpo de Cristo (1 Co 12.12). Sendo um com o Mestre Amado, participamos de todos os seus sofrimentos. De algum modo, aquilo que Ele sofreu nós também sofremos e sofreremos, e isso nos identifica cada vez mais com Ele. As tribulações nos levam a oração e ao gemido. Buscando a ajuda do alto, somos revestidos com o poder de Deus e esse poder vai nos moldando para sermos conforme Cristo é. Essa certeza que Paulo tinha o faz concluir de modo triunfal o versículo: "a nossa consolação sobeja por meio de Cristo" (ARC) ou "por meio dele, participamos de sua grande ajuda" (NTLH).

Um cristão consolado por Deus é uma ferramenta eficaz de encorajamento e consolação. Usa-nos Senhor, para cumprir Seus propósitos e para curar os corações feridos!

--------------------------------------------------------

ASSISTA PREGAÇÕES E ESTUDOS DO PASTOR SÉRGIO FERNANDES

https://www.youtube.com/user/pastorsergiofernande