Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #

A semeadura determina a colheita

  |  Pr. Sérgio Fernandes (insta @manadamanha)

Eclesiastes 3:2 - Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;

A vida humana compreende um ciclo de nascer e morrer, como Salomão afirmou em Ec 3.2, mas no mesmo verso está afirmado que “há tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou”.

A reflexão do sábio não é apenas a de que nascemos para morrer, mas que também iremos colher tudo aquilo que plantarmos. Que notícia incrível e preocupante ao mesmo “tempo” (inevitável essa brincadeira). Ser humano é viver uma experiência cíclica de semeadura e colheita sem fim, até o final da vida. Semeamos através

de nossas atitudes e colheremos o resultado delas.

Por vivermos em um universo criado por um Deus que é justo e que trará a juízo toda a obra (Ec 12.14), a qualidade da semente determina o tipo de colheita. Por isso, o homem e a mulher de fé devem plantar “no tempo”, para colherem “no tempo”.

Algumas situações que você vive hoje refletem boas e más sementes que você plantou no passado. E, a partir de agora, a sabedoria te inspira a plantar com mais qualidade, a fim de colher melhor no futuro que Deus ainda tem planejado para você!

Moisés: o grande instrumento do Senhor

  |  Pr. Olavo Feijó

Hebreus 11:27 - Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível.

Moisés é uma figura de destaque, na galeria universal dos grandes legisladores. Não somente criou a estrutura jurídica de um dos povos mais influentes da história da civilização, mas através da interpretação espiritualmente aprofundada das leis humanas, Moisés trouxe inovações que, de tão sofisticadas, somente tiveram suas explicações durante o ensino de Cristo Jesus, no “Eu, porém, vos digo” do Sermão do Monte (Mateus 5).

Descrevendo a galeria bíblica dos heróis da fé, a carta aos Hebreus destaca o impacto do “filho da filha do faraó”, dizendo: “Pela fé (Moisés) deixou o Egito, não temendo a ira do rei, porque manteve-se firme como quem vê Aquele que é invisível” (Hebreus 11:27).

Estevão, nosso primeiro mártir, antes de morrer pelo apedrejamento dos judeus, também “viu o invisível” e orou pelos seus inimigos (dentre os quais estava o rabino Saulo de Tarso). Nossa missão é continuar o testemunho e a coragem dos primeiros cristãos. Vivendo corajosamente em Cristo. Apesar das perseguições, continuamos a obra do Reino de Deus, aprisionados... ou não!