Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Eu, o Senhor, Odeio o Roubo  |  Pr. Olavo Feijó

Isaías 61:8 - Porque eu, o SENHOR, amo o juízo, odeio o que foi roubado oferecido em holocausto; portanto, firmarei em verdade a sua obra; e farei uma aliança eterna com eles.

A Bíblia inteira nos mostra um Senhor que não pactua com a mentira, a injustiça e a irrealidade: “Porque Eu, o Senhor, amo a justiça e odeio o roubo e toda maldade” (Isaías 61:8).

Por que a menção do roubo, na descrição da postura justa do Senhor? O roubo é a conduta que contraria a postura bíblica que sempre relaciona os bens com a atitude do trabalho honesto. Paulo, por exemplo, diz francamente: “quem não trabalha, que não coma”. O ladrão despreza o trabalho e idolatra o dinheiro. Por isso, o roubo sempre é acompanhado da corrupção, da violência, da exploração. Além de ser apropriar do dinheiro, o roubador exalta a injustiça, zomba da criatividade produtiva e avilta o emprego como fator de aquisição de renda.

Os seguidores do Senhor, por definição, devem ser contra o roubo. Desde a apropriação indébita, até a sonegação dos impostos. Roubo, em todas as suas sutilezas, como no produto pirata, no plágio, no direito à dignidade individual. O cristão tem que ser contra o roubo, porque “Eu, o Senhor, odeio o roubo”.