Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Cidadãos e embaixadores  |  Pr. Olavo Feijó

Atos dos Apóstolos 22:28 - E respondeu o tribuno: Eu com grande soma de dinheiro alcancei este direito de cidadão. Paulo disse: Mas eu o sou de nascimento.

Uma das fontes de renda do Império Romano era a venda de direitos de cidadania. Os governantes descobriram que conseguiam mais cooperação dos povos conquistados quando dividiam com eles as responsabilidades locais da administração. Mais ainda: eles se deram conta de que as leis do Império permitiam contratar mão de obra local, inclusive concedendo foros de cidadania, depois que a experiência demonstrou que os funcionários naturalizados estavam produzindo mais, no intuito de manter suas atividades profissionais, além dos outros privilégios.

Este é o pano de fundo, que nos ajuda a compreender melhor o diálogo entre o apóstolo Paulo e o tribuno romano, comandante da prisão na qual o apóstolo deveria ser preso. Como Paulo de Tarso, nós cristãos somos cidadãos de dois reinos. Tarso é a cidade terrena que nos viu nascer, cuja leis automaticamente se tornaram nossas leis. Por outro lado, quando aceitamos membresia no Reino de Deus, assumimos, também, a responsabilidade de viver como "embaixadores de Cristo" (II Coríntios 5:20). Nós honramos nosso Rei Jesus, fazendo de nosso comportamento o anúncio constante do reinado espiritual do Senhor. Somos embaixadores/missionários.

Como embaixadores do Reino de Deus neste mundo, impõe-se que nosso comportamento revele sempre a personalidade do cidadão do Reino. Daí o desafio do Mestre. De tal modo brilhe a vossa luz diante dos homens, que eles vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus" (Mateus 5:16).