Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Nada me faltará  |  Pr. Olavo Feijó

Salmos 23:1 - ¶ [Salmo de Davi] O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.

O Salmo 23 tem sido erroneamente usado como prova bíblica de que o Senhor garante absoluta blindagem para os Seus seguidores. E são exatamente os seguidores desta teologia do “corpo fechado” que se escandalizam profundamente, quando veem cristãos perdendo seu emprego, fiéis atingidos por doenças incuráveis e crentes bondosos sofrendo injustiça.

Afinal de contas, qual deve ser o ensinamento bíblico do Salmo 23:1?. O Senhor é meu Pastor: nada me faltará” – crer nesta declaração significa que aceitar o Cristo faz do cristão uma super pessoa? Crer nesta hipótese implica retirar da Bíblia a experiência de Jó, o sofrimento conjugal de Oséias, o martírio de Estêvão. Acima de tudo, porém, significa não aceitar o sacrifício na cruz do próprio Filho Unigênito de Deus!

Há uma proposta de interpretação que confirma o contexto total da Bíblia, quanto à providência divina. E ela nos foi dada por Jesus. Primeiro, Ele disse: “no mundo, vocês terão tribulação”. Segundo, Ele orientou: “mas não fiquem aflitos”. Terceiro, Ele explicou: “Eu venci o mundo”. Conclusão final: exatamente porque aceitamos o Senhor como pastor e senhor, podemos contar com perseguição, com injustiça, com sofrimento. No meio de todos os problemas que enfrentarmos, todavia, nunca nos faltará o apoio essencial do Senhor e a certeza de participarmos de Suas vitória. Cristão bíblico não acredita em mágica: ele acredita na realidade do poder de Cristo no enfrentar as tribulações advindas do mundo. Esta, parece, é interpretação do contexto bíblico para o “nada me faltará”.