Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Meu socorro não vem dos montes  |  Pr. Olavo Feijó

Salmos 121:1 - ¶ [cântico dos degraus] Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro.

O início do Salmo se justifica: afinal de contas, o Templo de Jerusalém, símbolo de glória e do poder de Deus, estava situado no alto dos montes da cidade. Daí sua oração: “Elevo os meus olhos para os montes e pergunto: de onde virá o meu socorro?” (Salmo 121:1).

A resposta vem logo, em seguida: “O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a Terra” v. 2). Quando estamos caminhando nos vales e desertos da vida, faz sentido olhar para o alto e abrir o coração em busca de socorro. Além disso, entretanto, é essencial olhar para além dos montes, até nos comunicarmos com o Criador dos montes. Por mais alto que o Senhor esteja, nunca se encontra inatingível, quando nosso coração sofre e busca consolo e solução para nossos problemas.

O Deus revelado pela Bíblia não mora em lugar nenhum. Nem pode ser visto pelo olhar humano. O Senhor, criador dos montes, tem a capacidade de nos ver e de nos ouvir. E tem, também, a capacidade de nos amar, de nos ampara e de resolver nossos problemas e provações; não faz mal olhar para o alto e apelar para Deus. Sempre sabendo, entretanto, que o Deus do alto é Aquele à nossa disposição, que desce até nós, para habitar em nosso coração. Não é o monte do Senhor. É o Senhor dos montes, que nos restaura e nos mantém.