Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Uma Oração Não Atendida  |  Pr. Olavo Feijó

João 11:32 - Tendo, pois, Maria chegado aonde Jesus estava, e vendo-o, lançou-se aos seus pés, dizendo-lhe: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.

Não foi por falta de aviso ou de pedido: mesmo sabendo da seriedade da doença de Lázaro, Jesus deixou seu amigo morrer. Daí o desapontamento de Maria: “Maria prostrou-se aos seus pés e disse-lhe: Senhor, se estivesses aqui, meu irmão não teria morrido” (João 11:32).

Existe um tipo de pregação que se admite uma resposta, às orações dos crentes: como o Senhor é Pai, “não é padrasto”, a responsabilidade Dele é responder os nossos pedidos, segundo nossas expectativas. Assim, no desemprego, a única resposta admissível é o Senhor arranjar um emprego. No caso de doença, “nunca fará sentido um Senhor que não providencie a cura”.

Jesus não aceitaria esse tipo de pregação. No episódio do seu grande amigo Lázaro, por exemplo, suas irmãs oraram pedindo a cura de sua doença grave. Obviamente, o Mestre deixou que Ele morresse, contrariando o desejo e as orações das duas irmãs. Marta e Maria, ao orarem, pediram uma grande bênção ao Senhor. Cristo , porém, não queria ser limitado a apenas dar uma grande bênção.

O que Ele planejou, diante das orações fervorosas de duas cristãs consagradas, foi dar uma resposta extraordinariamente grande. Elas pediram cura, Ele deu ressurreição. Nós temos que escolher: queremos respostas humanas ou queremos as respostas sobrenaturais, que só o Senhor pode dar?