Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
A Irritante Misericórdia Divina  |  Pr. Olavo Feijó

Jonas 4:2 - E orou ao SENHOR, e disse: Ah! SENHOR! Não foi esta minha palavra, estando ainda na minha terra? Por isso é que me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.

Por que Jonas, deliberadamente, se sentiu ofendido e desrespeitado, quando o Senhor o convocou para pregar o arrependimento ao povo de Nínive? Ele mesmo explicou – “Ele orou ao Senhor: Senhor, não foi isso que eu disse quando ainda estava em casa? Foi por isso que me apressei em fugir para Tarsis. Eu sabia que Tu és Deus misericordioso e compassivo, muito paciente, cheio de amor e que prometes castigar, mas depois Te arrependes” (Jonas 4:2).

Crentes linha dura têm lá os seus argumentos. “Fica a gente aqui, dando um duro para obedecer ao Senhor. Só que quando se olha em volta, vê um monte de pessoas mau caráter, só cometendo pecado e, aparentemente, vivendo numa boa. Isso não é injusto? Deus não tinha de castigar todos esses ímpios?” Para os crentes “super crentes”, o Senhor deveria ser tipo tolerância zero”

Jonas, o padroeiro dos crentes “super justos”, achava que a misericórdia de Deus só atrapalha aqueles que querem consertar o mundo. Se Jonas vivesse hoje, muito provavelmente iria descobrir que a obra de Jesus Cristo não teria acontecido, se Deus não fosse incompreensivelmente amoroso e perdoador... Felizmente, o Senhor não obedece à nossa lógica. A razão por que somos “filhos de Deus” é, simplesmente, a graça restauradora de Deus. Cristão que já experimentou o poderoso amor do Senhor nunca precisou do “ventre de um grande peixe” para dar testemunho de Jesus Cristo.