Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Quando a Bíblia Nos Entristece  |  Pr. Olavo Feijó

2 Coríntios 2:4 - Porque em muita tribulação e angústia do coração vos escrevi, com muitas lágrimas, não para que vos entristecêsseis, mas para que conhecêsseis o amor que abundantemente vos tenho.

Quando Paulo ficou sabendo de problemas graves que estavam acontecendo na igreja de Corinto, decidiu escrever-lhe uma carta de correção doutrinária. Ao saber que alguns irmãos ficaram tristes pelo conteúdo da carta, mandou-lhes uma segunda epístola, com explicações afetuosas. “Eu escrevi aquela carta muito preocupado e triste e derramando muitas lágrimas. Porém, não escrevi para fazer com que vocês ficassem tristes, mas pra que soubessem do grande amor que tenho por todos vocês” (II Coríntios 2:4).

Ninguém se alegra, quando lhe dizem que está errado. Pelo contrário, a simples constatação de que os próprios esforços resultaram em erro, tem o poder de nos frustrar, e consequentemente, de nos deixar tristes. É exatamente deste assunto que trata a Segunda Carta de Paulo aos Coríntios.

A Bíblia diz que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23). E ela diz, também, que “Deus corrige os filhos a quem ama” (Hebreus 12:6). Raciocinando neste contexto, a Bíblia reconhece nosso direito de nos entristecermos quando a correção do Senhor nos atinge. Mas, exatamente por causa desta fragilidade da nossa natureza, as Escrituras enfatizam a dimensão construtiva da correção divina. No meio das provações e disciplinas, lembremo-nos da revelação do apóstolo: seu objetivo é confirmar, dentro de nós, o “grande amor” que o Senhor sente por nós.