Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Autoaprovação e Reprovação Do Senhor  |  Pr. Olavo Feijó

2 Coríntios 10:18 - Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva.

Um dos problemas que Paulo enfrentou, na comunidade cristã de Corinto foi o questionamento de sua autoridade apostólica, da parte de um grupo adversário. Paulo apresentou, com veemência, suas credenciais de apóstolo. No final, estabeleceu um critério definitivo: em lugar da autoaprovação, o que conta é a aprovação do Senhor. “Pois a pessoa só é aprovada quando o Senhor a aprova e, não, quando é aprovada por si mesma” (II Coríntios 10:18).

Toda pessoa normal e amadurecida gosta de saber que a comunidade aprova e valoriza sua pessoa e sua atividade. O preço da aprovação dos outros, porém, pode chegar a ser alto demais. Por isso, os prejuízos emocionais e éticos do excesso de autoafirmação podem se equiparar ao preço que pagamos para comprar a aprovação dos outros.

Ser aprovado pelo Senhor acontece em duas dimensões: a primeira dimensão tem a ver com a saúde espiritual que desenvolvemos, como resultado de exercícios diários de comunhão com o Senhor. Neste estágio, o Espírito do Senhor, em nós, assegura a paz de Cristo, que o mundo não pode dar (João 10:27). A segunda dimensão tem a ver com nossos “frutos” como Jesus disse, a “a árvore se conhece pelos seus frutos” (Mateus 7:16). O Mestre foi claro: “A natureza gloriosa do Meu Pai se revela quando vocês produzem muitos frutos e assim mostram que são Meus discípulos” (João 15:8). A aprovação divina produz saúde interior e testemunho exterior.