Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Agora Sou Velho  |  Pr. Olavo Feijó

Salmos 37:25 - Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão.

O Salmo 37 descreve muito bem o desapontamento do seguidor do Senhor quando vê, aqui na Terra, a prosperidade material daqueles que nem ligam para Deus. Entretanto, ao fazer um levantamento honesto dos altos e baixos da sua longa vida, declara: “Fui moço e agora sou velho, mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência mendigar o pão.” (Salmo 37:25).

Provavelmente, o fator importante proposto pelo salmista é o recurso da visão total da perspectiva. Uma coisa é ver uma cena, muito pontual, pela primeira vez. Outra coisa, mais sábia, é situar a tal cena no panorama do passado, levando a sério suas evoluções. Depois de recordar os altos e baixos da sua vida, o salmista agora idoso, faz um levantamento amplo e reconhece ter vivido mais altos do que baixos. Conclusão: “agora, no final da minha vida, sinto-me amparado”.

Ser crente não deve significar ser alienado da realidade do dia a dia. Nem, tampouco, não perceber no presente as bênçãos que nos acompanham, desde o passado. É preciso dizer, entretanto, que a sabedoria da idade avançada percebe como “amparo” coisas muito mais profundas do que o apoio material. De qualquer maneira, o testemunho de um idoso que conviveu com o Senhor através dos anos nunca deverá ser ignorado. Agora, sou velho.