Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
Cristo, entregue por todos nós  |  Pr. Olavo Feijó

Romanos 8:32 - Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?

A morte de Jesus não foi um acidente de percurso. Ela foi planejada e executada com amor e poder: “Aquele que nem mesmo o Seu próprio Filho poupou, antes O entregou por todos nós, como nos não dará também com Ele todas as coisas?” (Romanos 8:32).

Temos a tendência de encarar a morte de Jesus como um mero fato da história do cristianismo. Chegamos a afirmar que Ele morreu porque homens malvados o mataram. Alguns até dizem que Sua crucificação foi a maior injustiça da história.

O Apóstolo Paulo conseguiu enxergar, com os olhos da revelação divina, o significado cósmico da morte de Jesus. Ele entendeu a necessidade da morte de Jesus e a necessidade da ressurreição do Cristo. Ambos os fatos históricos aconteceram como parte do plano total da criação. Como parte da criação dos “filhos de Deus”. Paulo entendeu que ser salvo é ser “adotado como filho”, como “herdeiro de Deus e co-herdeiro de Cristo”. Cristo nos foi entregue como a garantia do amor eterno do nosso Pai por todos nós.