Ordem Alfabética: A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z   #
A multidão das Tuas misericórdias  |  Pr. Olavo Feijó

Salmos 51:1 - ¶ [Salmo de Davi para o músico-mor, quando o profeta Natã veio a ele, depois dele ter possuído a Bate-Seba] Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.

O Salmo 51 não deve ser lido apenas como uma peça excepcional de poesia religiosa. Ele é um poema autobiográfico, que nos explica a razão de não sermos destruídos por Deus. “Tem misericórdia de mim, ó Deus, por causa do Teu amor. Apaga as minhas transgressões, por causa da Tua grande compaixão” (Salmo 51:1).

Ver a corrida líquida do aço em fogo, dentro de uma usina siderúrgica, é uma experiência inesquecível. O que quer que se jogue dentro daquela onda, é destruído e tragado pela intensidade do calor. Mesmo de longe, ver a corrida do aço requer proteção especial pra o nosso corpo. Ora, a Bíblia afirma que “Deus é fogo consumidor” (Hebreus 12:29). Por que, então, não somos destruídos, quando tentamos nos aproximar Dele? O salmista responde: porque o Senhor nos envolve pela impenetrável proteção do Seu amor e da Sua grande compaixão.

Nossa natureza humana não poderia ser mais frágil do que é. A graça divina, no Seu projeto de nos transformar em “filhos de Deus” (Efésios 1:4), injetou em nós a única força capaz de não sermos destruídos. O Cristo, que nos protege, nos capacita a ficarmos cada vez mais iguais a Ele. A única explicação: por causa da multidão das Suas misericórdias.